top of page

O passo mais importante para lidar com o término de um relacionamento.



No texto anterior, você viu 10 passos para lidar com o término de um relacionamento. Se ainda não viu, >clique aqui< e confira. Eu quero adicionar um 11º passo e já adianto que ele é o meu queridinho. Os demais passos precisam ser seguidos para que haja um reencontro de você consigo mesma(o). Toda a energia investida na pessoa que não está mais ao seu lado precisa ser resgatada e trazida de volta pra você. Os passos anteriores te ajudarão com isso. Mas, eu acredito que esse 11º passo pode te ajudar a compreender o cenário atual e ter mais força para continuar. Vamos lá!


11º passo: TENHA FÉ!



Imagine uma criança de 3 anos de idade numa loja de calçados escolhendo algo pra ir à praia pela primeira vez. Pois bem, agora imagine que ao olhar a vitrine, ela escolhe uma bota de camurça e cano alto. O pai tenta dizer pra criança que aquele não é o calçado ideal pra ir à praia, mas ela não entende, não sabe o que é praia. A mãe tenta descrever a praia e fala da areia, da água, do sol, do calor, mas, de novo, a criança não entende, afinal, a união desses conceitos ainda não faz parte do aparelho psíquico dela. Desistindo de tentar explicar e sabendo que ela não tem mesmo condições de entender, os pais dizem pra criança que a escolha dela não é adequada e que eles escolherão uma opção melhor. A criança começa a chorar, espernear, insiste em ficar com a bota, se recusa a escolher ou aceitar outra opção, repele qualquer tentativa de aproximação dos pais, se angustia, e sofre enquanto eles escolhem algo mais apropriado pra ocasião. Ela vai pra casa dormindo de tanto chorar e sem entender porque seus pais não fizeram o que ela queria. Esse sofrimento, no entanto, tem hora pra acabar. Os pais sabem que ao chegar na praia, ela entenderá! Mas, ainda falta uma semana e, pra criança, esse tempo será uma eternidade. Depois de relembrar sua insatisfação incansavelmente e demonstrar seu descontentamento dia após dia, pensando na bota que ficou pra trás, ela finalmente chega na praia. E agora, de maneira mágica, ela entende a escolha dos pais! Eles dizem: "Tá vendo, a gente sabia o que estava fazendo! Sabíamos o que era melhor pra você; um calçado aberto, que você pudesse molhar... Se você acreditasse na gente, não teria sofrido nem por um instante". E agora ela sabe que é a mais pura verdade!


Você já entendeu onde quero chegar, não entendeu?


Nós, nessa vida, somos como uma criança ingênua que não entende muitas das coisas que acontecem. Achamos o tempo todo que sabemos o que é melhor pra nós, mas sabemos tanto quanto essa criança da história. Nós não sabemos nada! Enquanto os pais da criança conseguiam imaginar todo o contexto e, inclusive, o futuro, a criança só conseguia pensar no que perdeu ou deixou de ganhar. Nada nos difere dela. Eu não posso provar que haja um grande pai em algum lugar desse Universo tomando as decisões que são melhores pra você e tirando o que você tanto gosta pra te dar algo melhor, mas é nisso que eu acredito! É isso que a vida tem me mostrado. Gostaria que você também acreditasse porque essa FÉ é um divisor de águas. Acreditar que Deus, o Universo, o Todo ou algo maior nos guia com toda a sabedoria de um pai, é algo libertador. Te convido a experimentar essa sensação. E eu não estou falando de religião. Não! É apenas uma certeza interna de que NADA É POR ACASO e de que tudo o que você está passando (assim como a criança da história) deve ter um motivo maior do que você pode compreender agora. Mas, que daqui a pouco fará todo o sentido do mundo.


Então, lembre-se sempre: você é apenas uma criança que acha que uma bota de camurça e cano alto é o melhor pra você... Mas, como eu perguntei no início do outro texto, e se não for? Você só poderia afirmar isso se soubesse de fato pra onde está indo. Você sabe? Pois é, ninguém te contou e eu também não sei te dizer, mas certamente se tiraram a "bota" de você é porque ela não era adequada nesse momento. Se fosse, você a teria! Seus pais teriam permitido que você ficasse com ela e estariam felizes em te agradar. Acredite! Você só acha que ela é melhor porque não está vendo o cenário todo, não consegue imaginar o futuro que te espera e porque não confia nas escolhas que fizeram por você. Quando você finalmente chegar "na praia", você entenderá e, com certeza, agradecerá!


Espero que essa analogia faça sentido pra você e te toque tão fundo quanto me tocou quando ela surgiu na minha cabeça e acalmou o meu coração.


Abaixo, segue um texto que eu amo e que tem tudo a ver com o que eu escrevi aqui...


"A mente queixosa nunca pode ser religiosa. É impossível a mente queixosa ser religiosa porque a mente que se queixa não se tornou cônscia de uma realidade básica: Que a existência lhe ama, que ela cuida de você, que você tem a amizade dos ventos, da chuva, do sol, da lua. O que quer que aconteça... pode parecer uma maldição para você, mas nunca é uma maldição, é sempre uma bênção. Talvez no princípio possa parecer como uma maldição, pois nossa visão é muito limitada, nossa perspectiva é muito pequena. Não podemos ver a coisa toda, não podemos ver todas as implicações disso. Não podemos ver a série inteira de eventos que se seguirá depois disso; senão estaríamos sempre gratos, nos sentiríamos sempre abençoados. Mesmo na morte, um homem de compreensão encontra imensa gratidão. Tudo é uma bênção."

(Osho)


E assim, eu encerro essa tentativa de te ajudar a passar por essa fase chata, indesejada e que parece não ter fim, mas que te apresenta infinitas possibilidades de mudança, crescimento, evolução, desenvolvimento, conquistas e orgulho.


Está tudo certo! Do jeitinho que deveria estar... E, se você compreender o que a vida espera de você e se colocar em movimento para aprender, daqui a pouquinho essa dor vai passar! Acredite! =)


Um beijo!

Comments


bottom of page